É com o objectivo de partilhar conhecimentos e promover um espaço de reflexão em torno da temática da engenharia genética e suas implicações éticas que surge este espaço web.

segunda-feira, janeiro 30, 2006

Batata transgénica pode ajudar a criar vacina contra HPV

Uma batata geneticamente modificada por pesquisadores das universidades de Rochester, Cornell e Tulane, pode ajudar na criação de uma vacina "comestível" contra o HPV, ou papilomavírus humano, principal responsável pelo cancro do colo de útero, doença que mata 230 mil mulheres em todo o mundo. A batata transgénica seria capaz de produzir partículas semelhantes a vírus, ou VLP, que são a principal matéria-prima para a produção de uma vacina. A viabilidade da utilização dessas partículas, porém, era restrita antes da criação da batata já que os custos eram muito altos.Os cientistas acreditam que, com a ingestão da batata, as pessoas poderão criar anticorpos contra o HPV. A batata já está em fase de testes em ratos.

Fonte: Folha online

A saúde humana e a biotecnologia

Entre as mais importantes descobertas deste final de século possibilitada pela engenharia genética, está o início da produção de insulina humana sintética para as pessoas que sofrem de diabetes- Diabetes mellitus- substância que estabiliza o nível de glicose no sangue.
A primeira aplicação comercial da biotecnologia ocorreu em 1982, quando a empresa Genentech produziu insulina humana para o tratamento da diabetes. Até então, a insulina era obtida de um suprimento limitado de tecido pancreático bovino ou suíno.
Para fornecer insulina em quantidades necessárias, o gene que produz a insulina humana foi isolado e transferido para a bactéria Escherichia coli. As bactérias multiplicam-se e crescem num tanque de fermentação, produzindo a proteína insulina que, a partir daí, é isolada e purificada. Ao inserir o gene humano para insulina em bactérias, os cientistas conseguiram a produção bacteriana em grande escala da proteína que salva vidas.
No futuro próximo, pacientes diabéticos poderão inalar insulina, eliminando a necessidade de injeções graças à bioecnologia.
By: Ana Margarida

sábado, janeiro 28, 2006

Luz verde para as células estaminais

O Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) admite, afinal, a utilização de células estaminais de embriões na investigação, mas apenas em situações excepcionais, uma posição que revela abertura num assunto controverso.

Paula Martinho da Silva, advogada e presidente do CNECV, afirmou ontem, em Lisboa, que houve consenso.(...):“A destruição de embriões criopreservados com o fim específico de obtenção de células estaminais destinadas à investigação constitui uma instrumentalização contrária à sua dignidade.”Contudo, acrescenta, são admitidas excepções: “A colheita de células estaminais de embriões que não é por si própria causa de destruição desses embriões não levanta objecções éticas.”
ALTERNATIVA À DESTRUIÇÃO
O biólogo Pedro Fevereiro apresenta a possibilidade da utilização das células estaminais do embrião na investigação científica como alternativa à sua destruição.“Quando os progenitores desistem do embrião criopreservado, porque já não querem mais filhos e não há um projecto de vida para o embrião, deve ser doado a outro casal inscrito em programas de infertilidade. Se o embrião não for para doação, em vez de ser destruído, o Conselho admite a utilização de células estaminais na investigação.” (...) O especialista em anatomia patológica Jorge Soares avança com outra circunstância da sua utilização: “Na procriação medicamente assistida pode acontecer o embrião não ter qualidade morfológica para ser implantado no útero, porque tem algum defeito genético, mas pode ter células que podem ser investigadas.”O parecer foi tomado após audição das Ordens dos Médicos, Médicos Veterinários, Biólogos, Sociedade Portuguesa das Células Estaminais e dos especialistas Mário Sousa e Leonor Carreira.
By: Pedro Catarino , Correio da Manhã 2005-11-29 (texto com supressões)

terça-feira, janeiro 24, 2006

A tecnologia ao serviço da saúde - células estaminais


A Crioestaminal proporciona aos futuros pais a oportunidade de isolar e armazenar as células estaminais do sangue do cordão umbilical por um período mínimo de 20 anos.
As células estaminais são células extraordinárias cujo destino ainda não foi "decidido". Podem transformar-se em vários tipos de células diferentes, através de um processo denominado "diferenciação". Nas fases iniciais do desenvolvimento humano, as células estaminais do embrião "diferenciam-se" em todos os tipos de células existentes no organismo - cérebro, ossos, coração, músculos, pele, etc. O congelamento destas células a 196ºC negativos permitirá que estejam ao dispor do recém-nascido e da sua família, podendo ser utilizadas no tratamento de várias doenças graves.Os cientistas estão entusiasmados com a possibilidade de controlar o espectacular poder natural destas células para curar vários tipos de doenças. Por exemplo, as doenças de Parkinson e Alzheimer resultam de lesões em grupos de determinadas células no cérebro. Ao fazer um transplante das células estaminais de um embrião para a parte do cérebro com lesões, os cientistas esperam substituir o tecido do cérebro que se perdeu. Num futuro próximo, a investigação das células estaminais poderá revolucionar a forma de tratamento de muitas "doenças mortais" como, por exemplo, acidentes vasculares cerebrais, a diabetes, doenças cardíacas e até mesmo a paralisia.

sábado, janeiro 21, 2006

Arroz dourado

"O "Arroz dourado" é arroz geneticamente modificado que contém uma grande quantidade de vitamina A. Ou, mais correctamente, o arroz contém o elemento beta-caroteno, que é convertido no organismo em Vitamina A. Assim, ao comermos arroz dourado, obtemos mais vitamina A.O beta-caroteno dá a cor laranja às cenouras e é a razão pela qual o arroz geneticamente modificado é dourado. Para que o arroz crie beta-caroteno, são implantados três novos genes: dois de narcisos e o terceiro de uma bactéria.
Vantagens:
O arroz pode ser considerado como uma vantagem específica para as pessoas carenciadas dos países subdesenvolvidos. Estas têm uma dieta extremamente limitada na qual faltam as vitaminas essenciais ao organismo. Em consequência dessa dieta restrita, muitas pessoas acabam por morrer ou cegar. É o que acontece muitas vezes nas regiões pobres da Ásia, onde grande parte da população se alimenta de arroz de manhã à noite.
Desvantagens:
Os críticos receiam que as pessoas pobres dos países subdesenvolvidos se estejam a tornar demasiado dependentes dos países ricos do mundo ocidental. Geralmente, são as grandes empresas privadas do ocidente que têm meios para desenvolver plantas geneticamente modificadas. Tornando as plantas estéreis, as empresas podem impedir os agricultores de guardarem sementes para o ano seguinte, forçando-os a comprar-lhes novo arroz. "

Para ler o artigo completo:http://www.bionetonline.org/portugues/Content/ff_cont3.htm


sexta-feira, janeiro 20, 2006

Enquadramento legal - transgénicos

Achei importante conhecer a posição de Portugal, que tem vindo a ser flutuante, quanto a questão do cultivo de transgénicos.
"Em Portugal o Ministério da Agricultura aprovou o cultivo de duas variedades de milho transgénico (Elgina e Compa Cb), resistentes à praga que afecta a planta, mas depois de reconhecer que não existia capacidade de monitorizar as eventuais consequências negativas, suspendeu as autorizações. Devido à falta de controlo e fiscalização não se conhece com precisão a situação dos transgénicos cultivados, nomeadamente a área que ocupam e onde se encontram. O Ministério da Agricultura estima, no entanto, que a área de milho transgénico em 1999 tenha atingido os 1300 hectares, com predominância para o Ribatejo, Alentejo e, em menor escala, no Norte do país."
Realizaram-se recentemente importantes debates sobre a questão dos alimentos transgénicos e o governo aprovou recentemente o cultivo do milho transgénico zelando pelos interesses económicos do país e das multinacionais agro-alimentares. Na Assembleia da República "Os Verdes" tentaram assegurar a não contaminação das culturas convencionais e biológicas pelas culturas de transgénicos defendo uma posição contra a liberalização do seu cultivo, no entanto, a medida foi aprovada, sendo por isso legal, actualmente, o cultivo de transgénicos.

www.stopogm.net/biotecnologia/portugal.htm
by: Ana Margarida

terça-feira, janeiro 17, 2006

Aplicações da engenharia genética - alimentos



A ciência e particularmente a engenharia genética progridem sempre no sentido de melhorar e optimizar as condições de vida da população e não faria sentido se assim não fosse.
Uma das aplicações da engenharia genética e que se reflecte directamente na sociedade são os alimentos transgénicos ou geneticamente modificados. Os alimentos transgénicos são alimentos cujos genes foram modificados ou manipulados pelos humanos de forma a exibirem características que não teriam no seu estado natural e que tornem a sua produção economicamente mais rentável. Um dos casos mais conhecidos é a inclusão de um gene de um peixe do ártico em morangos, que lhes permite resistir melhor ao frio. São retirados genes de interesse, com a ajuda de "tesouras biomecânicas" as enzimas de restrição do peixe do Ártico e inseridos no DNA dos morangos usando um vector, os plasmídeos presentes nas bactérias.
As culturas mais vulgares são o feijão, a soja, o milho e o algodão. Os alimentos são geralmente modificados por duas razões, além da melhoria das qualidades para a alimentação: para serem resistentes a pragas e insectos ou outras condições adversas ou tolerantes aos herbicidas (também denominados "pesticidas planta").
As principais vantagens desta cultura de alimentos geneticamente modificados são: uma produção mais ecológica e barata, uma melhoria do valor nutricional dos alimentos, alimentos com melhor tempo de conservação e inocuidade e optimização de plantações em terrenos pouco férteis.
As críticas à cultura de transgénicos provêm principalmente de organismos de protecção da natureza que consideram que não cabe ao homem alterar a biologia de outras espécies em benefício próprio além de outras questões relacionadas com a falta de informação sobre as consequências desta manipulação, perigos para a saúde pública e um impacto ambiental alargado. Imaginemos por ex. queplantávamos um campo com batatas que produziam uma toxina letal para os mosquitos da zona. Os mosquitos eram disseminados e lagartos que deles se alimentavam viam a sua população drasticamente reduzida. O mesmo acontecia aos mochos que comiam os lagartos. E por aí adiante até chegar ao topo da cadeia alimentar...
Existe ainda um longo caminho a percorrer até se saber ao certo quais os riscos e consequências para a saúde humana da utilização deste tipo de alimentos assim como o impacto ambiental. Desta forma, não pode ser radical a sua introdução na alimentação e todos os alimentos GM devem ser rotulados, cabendo a cada um de nós decidir sobre a sua utilização ou não.
Ana Margarida

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Engenharia genética



A engenharia genética assume uma grande importância na sociedade actual. Mas, afinal, o que podemos entender como engenharia genética?
"(...)o mundo pula e avança como bola colorida entre a mãos de uma criança." - António Gedeão
A ciência avança vertiginosamente e todos os dias são descobertos novos pressupostos com os quais nem sequer sonhávamos. A descoberta da constituição do património genético dos indivíduos foi, sem dúvida, um marco de grande magnitude e que revolucionou as várias vertentes da sociedade e da ciência. Surgiram novos ramos da ciência sendo a biotecnologia e a engenharia genética exemplos concretos.
Manipular o património genético dos organismos vivos, fazer rearranjos de genes, introduzir ou retirar outras porções de DNA é hoje possível e um processo (relativamente) simples e comum. A engenharia genética permite que cientistas usem os organismos vivos como matéria prima para mudar as formas de vida já existentes e criar novas. Os cientistas podem "cortar e colar" genes de um organismo para outro, mudando a forma do organismo e manipulando sua biologia natural a fim de obter características específicas (por exemplo, determinados genes podem ser inseridos numa planta para que esta produza toxinas contra pestes ou apresente características mais vantajosas para a alimentação).
"O aumento da preocupação com a ética e os riscos envolvendo a engenharia genética são muitos. Primeiro porque os genes são transferidos entre espécies que não se relacionam, como genes de animais em vegetais, de bactérias em plantas e até de humanos em animais. Segundo porque a engenharia genética não respeita as fronteiras da natureza – fronteiras que existem para proteger a singularidade de cada espécie e assegurar a integridade genética das futuras gerações." -
http://orbita.starmedia.com/~m.p.3/engenharia_genetica.htm

domingo, janeiro 15, 2006

Apresentada a sequência do genoma humano

Cientistas concluíram e divulgaram a sequência final do genoma humano, dois anos mais cedo que o esperado e apenas três anos depois de ter sido elaborado o ‘rascunho’ das 3 mil milhões de letras que compõem o livro da vida.

Os cientistas do grupo de trabalho do Instituto Sanger que definiram a sequência final do genoma humano esperam que a divulgação da mesma acelere as investigações, por forma a completar a total sequência do genoma. Mas os progressos hoje anunciados são já extraordinários. (...) O Projecto do Genoma Humano já ajudou os cientistas a descobrir a mutação que causa um tipo mortal de cancro da pele e acelerou as investigações sobre genes envolvidos na diabetes e na leucemia, por exemplo. Refira-se que a vitória médica sobre cancro é uma das grandes esperanças deste projecto. (...)
Estando agora completa a sequência de um terço do genoma humano, o restante trabalho deverá ser concluído em breve, até porque a sequência agora apresentada estabelece princípios de funcionamento dos genes que vão facilitar o trabalho que ainda falta desenvolver.
Maior facilidade no diagnóstico e prevenção de doenças genéticas e o desenvolvimento de novos medicamentos” são, para o biólogo Carolino Monteiro, especialista em Genética Humana e professor associado da Faculdade de Farmácia da Universidade Nova de Lisboa, os principais avanços possibilitados pela finalização do processo de sequenciação do genoma humano.
Fonte: Correio da Manhã (2003-04-14)
De facto, achei pertinente incluír nestas primeiras postagens o grande passo da ciência que nos permite agora falar de engenharia genética e biotecnologia, a sequenciação do genoma humano. O material genético dos organismos é o 'instrumento' de trabalho priveligiado destes domínios científicos e por isso impõe-se uma referência ao seu mapeamento.

O porquê deste blog



"Aquilo que guia e arrasta o mundo não são as máquinas, mas as ideias." - Victor Hugo
A ideia de criar um blog dedicado à biotecnologia e engenharia genética foi-nos sugerida numa aula de biologia. Embora inicialmente ninguém se mostrasse muito interessado, o projecto teve de avançar e aqui está este espaço que ,espero, seja de reflexão e partilha de conhecimentos, documentos, imagens, notícias...enfim, informação.
Neste blog, será dada a perspectiva social e implicações éticas da biotecnologia e engenharia genética ,bem como, outras explicações científicas e notícias que se imponham.
by: Ana Margarida